Jovens criam máquina de costura para deficientes e podem vencer competição

maquina-de-costura-para-deficientes

Quem disse que pessoas com dificuldade de locomoção ou visão não podem costurar? A máquina de costura para deficientes vem para gerar inclusão. Saiba mais!

Mês passado as paraolimpíadas nos mostraram que ter algum tipo de deficiência não é sinônimo de conformismo. Mesmo não andando, escutando ou enxergando, vários atletas ultrapassaram seus próprios e provaram, principalmente para si mesmos, que com dedicação é possível ir longe.

Mas você pode se perguntar: porque, num blog de costura, estamos falando sobre pessoas com deficiência? Simples, pois estas pessoas com deficiência também podem se jogar no mundo da moda com a mais recente inovação criada por dois jovens do Rio de Janeiro: uma máquina de costura para deficientes.

Talvez você nunca tivesse pensado nisso, mas hábitos que parecem tão simples para qualquer pessoa, como manusear uma máquina de costura, as vezes são etapas quase intransponíveis para pessoas que apresentam algum tipo de dificuldade locomotora e visual.

Como funciona a máquina de costura para deficientes?

A máquina de costura para deficientes nada mais é que uma máquina de costura adaptada as necessidades de uma pessoa com dificuldade de movimentação dos membros inferiores. Resumidamente, o projeto funciona por meio de um dispositivo eletroeletrônico que interpreta os movimentos do operador com a ajuda de um controle analógico controlado pela mão direita ou esquerda, de acordo com a necessidade do usuário.

A máquina de costura para deficientes foi criada por um grupo de quatro alunos dos curtos técnicos de Automação e Vestuário de Nova Friburgo, Rio de Janeiro. O projeto avançou para a final do Desafio Senai Projetos Integradores, que acontece no próximo mês, em Brasília. A ideia, atualmente, é apenas um protótipo, mas com a ajuda de apoiadores e investidores, a iniciativa pode se tornar um adaptador acessível e barato, sobretudo para empresas e indústrias de vestuário.

Outras ideias inclusivas de moda e costura

A máquina de costura para pessoas com deficiência, sem dúvida alguma é uma forma de dar protagonismo e incluir no segmento de moda e costura pessoas que são vistas como limitadas. No entanto, além deste projeto de Nova Friburgo, existe outros tantos que merecem destaque quando o assunto é inclusão – muitos, nem são novidade, mas vale a pena entrar na lista pela iniciativa:

Tecnotêxtil Brasil 2015

maquina-de-costura-para-cadeirantes

A última edição de uma das principais feiras de tecnologia têxtil da região Sudeste foi realizada o ano passado e boa parte do evento se dedicou a mostrar as principais inovações para pessoas com deficiência. Além de palestra e desfile sobre moda inclusiva, a exposição de produtos especialmente produzidos para este segmento mostrou que este universo está se expandindo e cada vez mais tecnológico. A próxima feira Tecnotêxtil 2017 acontece em 2017.

Inclusão na principal semana de moda

moda-para-deficientes

Em março de 2015, o principal evento de moda do mundo, a semana de moda de Milão, teve algo diferente: pela primeira vez um estilista apresentou uma coleção focada nas necessidades de pessoas com deficiência. O responsável por esta iniciativa foi o estilista italiano Antonia Urzi, conhecido por vestir famosas como Beyoncé e Rihanna.

moda-para-deficientes-milao

Na passarela o glamour das grandes modelos, deram espaço aos cadeirantes, além de pessoas com algum tipo de prótese. A iniciativa, vista com estranheza por muitos ao primeiro momento, foi um modo de encarar a deficiência com naturalidade e promover a normalização das deficiências no mundo da moda.

Máquina de costura para cegos

maquina-de-costura-para-deficientes-visuais

De fato, a visão é um dos nossos principais sentidos, e realmente muitas pessoas não se imaginam sem enxergar. Porém, para quem nasceu sem a visão ou perdeu o sentido aos poucos, a palavra de ordem é adaptação. E quem disse que eles não podem costurar, hein? No mercado já existem equipamentos de costura idealizados para deficientes visuais. Inclusive, o próprio Senai do Rio de Janeiro já desenvolveu equipamentos para incluir estas pessoas no mercado e dar a elas algum tipo de capacitação.

E você, o que achou das iniciativas que trouxemos aqui? Conta pra gente nos comentários!

Com informações e imagens de: Globo.com, Exame.com, NY Times, A Voz da Serra.